21 fevereiro 2009

Rodrigo's birthday

Dia 08 deste mês meu colega de cursinho, Rodrigo, convidou Maria e eu para uma festa na sua casa que seria um misto de comemoração de seu níver que seria dia 10, e sua entrada na Ufabc.
Nos fundos do quintal onde acontecia a festa, metade do pesoal que estava lá era sua família e a outra metade era ex-colegas do cursinho.
Em especial aos colegas que foram da nossa turma, fiquei um pouco desapontado como eles (pensando na maioria de nossos jovens) não lutam ou fazem um trabalho nas coxas para alcançar seus objetivos, que no nosso caso era estudar numa facul pública: faltavam ou matavam regularmente algumas aulas, conversavam tanto durante as aulas, e achavam que só iam cumprir tabela na hora das provas, que a vaga era quase que certa.
Juro que não compreendo de onde vem o sentimento de superioridade, ou de confiança plena em cima de um não-esforço para chegar no destino almejado. O achismo, que foi a única coisa útil que aprendi com meu primeiro professor de Microeconomia, é uma doença tão perigosa, e as pessoas não se dão conta disso. A filha do síndico do meu condomínio prestou História na USP e ignorou meu conselho de prestar na Unifesp, onde o vestibular não seria tão acirrado. Fez a Fuvest e não quis sequer conferir o gabarito, crente que iria para a segunda fase. Não foi e sequer comenta que resolveu se matricular na Uniban, como se tivesse vergonha de falar no assunto.
Os meninos que faziam parte da rodinha do Rodrigo, talvez achando que por estarem ao lado de alguém tão bem preparado como Rodrigo, também estavam, e se achavam bons demais para se esforçarem um pouco que fosse, como se só estar presente fisicamente nas aulas lhes fossem garantir uma das 10 mil vagas da Usp.
Não acredito que estava 100% preparado para garantir minha vaga, poderia ter me esforçado muitíssimo mais e chegar num nível onde pudesse sentir uma senhora confiança, mas duas coisas me ajudaram: me esforcei dentro do contexto que foi minha vida no segundo semestre, e tive sorte de cair assuntos quais eu dominava, com a benção de Deus e as preces de Maria.

P.S.: no Orkut do Rodrigo, ele batizou a foto deste post como "os bam bam bans das federais" (ele na Ufabc, eu na Unifesp, e Maria na Cefet). Cool...rs*

Um comentário:

Dinha disse...

"Transformando suor em ouro"

Título do livro do Bernardinho e tão cheio de sabedoria. Para mim, é muito claro a diferença entre inteligência (QI) e sabedoria e esforço. Eu acredito no trabalho e que a recompença só vem através dele. Realmente te acho uma pessoa muito inteligente e grande potencial intelectual. Mas, também te acho erudito e além admiro primeiro seus sonhos e depois o esforço qeu faz para conquistar cada um deles.
Sem sombra de dúvidas, o cursinho te ajudou (um pouco: forneceu material, tirou dúvidas, deus exemplos, fez com que você se organizasse para estar lá diariamente - a medida do possível), mas não houve o seu empenho pessoal de renúncia e dedicação, este sonho não teria se realizado.
Mais uma vez, parabéns, como disse a Débora você se torna um exemplo e modelo para todos nós que estamos próximos de você.
Te adoro.