09 abril 2008

03º mandato

Esta semana rolou dois boatos em Brasília: um que há um grupo de petistas tentando uma emenda constitucional para aprovar uma re-reeleição de Lula, mudando o que o FHC mudou em 1997, quando alterou a Constituição no item que dizia que o mandato do presidente era de 05 anos e passou a ser de 04 com direito a uma reeleição (simplesmente para se beneficiar tb o PSDB). Agora que eles viram que Lula teve forças para se reeleger, querem tirar a possibilidade de reeleição.
Eu sou a favor da reeleição por quantidade de vezes ilimitada, o que ébom deve continuar, e a lei não está dizendo que a pessoa ficará no cargo para sempre, apenas está dando o direito dela continuar o trabalho que já realizou.
Questiona-se se com isso a democracia estaria deixando de ser esxercida (ou seja, que a alternância no poder é sadia). O meu conceito de sadio e de democracia neste assunto é saber que temos o poder de decidir quem nos representará na política.
Ok, minha esposa questionou a hipótese da reeleição por vezes indeterminada aqui em SP. Dei a resposta que muitos simpatizantes dos tucanos dizem em relação aos petistas: se eles ficarem eternamente aqui, eu é que saio! Acabei vendo um lado negativo da re-reeleição, mas acho que isso só aconteceria se tivermos o voto obrigatório para sempre.
Eu sempre fui a favor do voto obrigatório, como mecanismo de conscientizar as pessoas sobre a importância de se contextualizar sobre a política nacional, mas depois de fazer um debate no Pead sobre candidatos, mudei rapidinho de opinião; quem deve eleger os candidatos é a massa pensante deste país (que está mais para “microscópica massinha”).
Eles preferem conversar sobre futebol, fofocas de artistas, BBB, novela. E créu!
O segundo boato é que caso não aprovem a re-releição de Lula, estão pensando no nome de Dilma Rousself para lhe suceder. Apesar dela ser uma profissional super inteligente e competente, acho que ela não ganha as eleições, a massa (que é quem decide quem se elege) não cohece, na sua grande maioria, o nome de Dilma. Seria uma derrota esmagadora para o PT, e Aécio Neves agradeceria eternamente aos petistas, por ele realizar o sonho do avô, Tancredo.

Um comentário:

Dinha disse...

Rogério,
como já falei em outras oportunidades, adoro a variedade de assuntos que trata o seu blog e recomendaria para muita gente, que precisa crescer em cultura, informações, etc...
Primeiro, achei interessante perceber o quanto você é flexível em relação as questões da vida (política). Acho que deve ser assim mesmo, precisamos aprender a fazer leituras contextuais, a opinião que hoje tenho como verdadeira amanhã pode não ser mais. Parabéns por essa postura.
Em relação ao assunto abordado no blog, apenas concordaria com a reeleição sem limite de vezes, se o voto não fosse obrigatório. Concordo plenamente que existe apenas uma massinha bem pequenininha que pensa politicamente neste país. Por isso, no momento, acho que o melhor para o Brasil é continuar com limites para concorrer a reeleição.