01 março 2009

Workers Party

No fim do ano passado eu decidi sair de cima do muro e resolvi participar do Workers Party, pois sempre dizia que era simpatizante, mas sempre querendo encher a boca para poder dizer com todas as palavras que eu tb era parte.
Desde o mês passado Dinha e eu temos ido mensalmente nos encontros do grupo do Carlos Neder, para vermos se podemos contribuir de alguma maneira com nossas opiniões, conhecimento, e experiências de vida.
Nestas duas reuniões achamos que o grupo está um tanto quanto não-objetivo, perdendo-se muito tempo discutindo com coisas que poderiam ser resolvidas de forma mais rápida.
Por enquanto parece que interesses individuais meio camuflados ficam em algumas falas, mas espero que seja apenas impressão e que possamos aproveitar mais e melhor dos próximos encontros.
Nestes dois encontros que fomos, apenas ouvimos, para entendermos um pouco da dinâmica do grupo e sentirmos melhor o chão que pisamos.
Gostaria de participar mais, mas infelizmente o tempo é escasso nos viramos nos 30.
Espero que seja uma experiência que nós de muito orgulho no futuro.

Um comentário:

Dinha disse...

Rogério,

acredito que só se pode mudar alguma coisa, quando participamos, seja do grêmio estudantil, do grupo de jovens da igreja, do partido político, do Conselho Gestor... Sei que na prática não fizemos uma democracia, mas se abrimos mão desse direito que foi historicamente conquistado, não faremos diferença nenhuma.
O bom da nossa participação é que não temos interesses individuais e nos dará maior imparcialidade para analisarmos os fatos.
Realmente espero que seja mais uma experiência enriquecedora em nossas vidas.