06 julho 2008

Lei seca

Taí uma lei que eu dou o meu maior apoio incondicional. Somos um dos países que mais matam pessoas por ano nas estradas, são 90 mil no total. Quando acaba um feriado prolongado, principalmente Carnaval e Ano Novo, nem dá gosto de assistir, pois uma única notícia eu sei que passará: o balanço parcial das polícias das estradas, com o número de mortos e feridos.
A foto acima é uma ótima idéia, mas não nova: amigos alugando uma van e todos se entoepm de alcool, menos o motorista que está sendo pago apenas para dirigir, ou escolhem um "amigo da vez". O importante é ninguém sair meio grogue e se arrebentar num poste ou noutro carro ao invadir a faixa contrária da rua.
Sou totalmente a favor de dar uma multa pesada a quem for pego dirigindo bêbado e de considerar homicídio doloso e não culposo as mortes no trânsito.
Bebeu demais, sabe q pode fazer m***** no volante, pega um táxi, dorme num motel, mas afasta de ti este volante.

Um comentário:

nyananflor disse...

Fala, Rogério!

Embora não seja favorável a rigidez legal como estratégia de combate à criminalidade, estou contigo nessa. Acho sim que foi uma boa medida, chiliques de empresários a parte.
Fico preocupada com quem está doente de alcoolismo, como isso pode ser trabalhado, pois doença tem a ver com saúde pública e a bebica alcóolica é legalizada, então, como será feito para idenficar quem é quem? É diferente do riquinho do bar do Brooklin, da Vila Madalena ou mesmo alguém que abusa muito aqui no Boteco do Zé. Esses tem condições de entender e absorver o conteúdo da lei, mas e o alcoolista?
Cada caso um caso, não é. Não posso tolerar pessoas sendo mortas enquanto estão na calçada, ponto de ônibus, atravessando normalmente uma rua. Daí meu ok à lei. Mas...